terça-feira, 6 de outubro de 2020

O que é e como contribuir com a luta antirracista?

 


Já dizia Angela Davis, professora, filósofa socialista e escritora, que não basta não ser racista, é necessário ser antirracista. Se posicionar contra o sistema que oprime e desumaniza negros desde a escravidão é fundamental em um país que perpetua o racismo como um "crime perfeito", bem como destaca o antropólogo Kabenguele Munanga. O título tem um significado bem simples: quem o comete sai ileso e quem o sofre precisa reafirmá-lo constantemente, soando sempre como vitimista e "mimizento".


O racismo possui várias camadas e vai muito além do xingamento explícito, por exemplo. Nuances mais profundas como o genocídio da população negra nas favelas mascarado de "bala perdida" ou "operação policial" é um deles. A escravidão moderna submetendo a população negra a profissões marginalizadas é outro. A higienização - ou a vontade de realizá-la - constantemente nas favelas é outra. Todas essas sempre estiveram ali, acontecendo não só sorrateiramente, como embaixo dos nosso narizes. Finalmente alguém resolveu parar para ouvir a voz do negro que cansou de ter seu sangue derramado. Mais do que desejar que o preto descanse em paz quando morra, é necessário fazer com que este possa viver em paz. Sem morrer por ser quem é.


O primeiro passo para entender a luta antirracista é ir atrás de informação sobre as pautas da população negra, das reivindicações, das conquistas e das necessidades. Entender que, se você é branco, você não vai nos salvar, mas a sua voz é ouvida em lugares que não nos permitem falar e é fundamental que você saiba se articular sem roubar nosso protagonismo. A informação é o caminho para o entendimento e o primeiro degrau para uma contribuição consciente e eficiente para a luta.


A imprensa negra é um braço da imprensa convencional que abraça a população negra de igual para igual, sendo feita de negros para negros. Mas, além disso, tem muita gente produzindo conteúdos racializados que podem ser consumidos de diversas formas - seja em áudio, em textos longos, em vídeos ou posts mais curtos. Seguem abaixo algumas indicações!



Sites


Alma Preta Jornalismo (https://almapreta.com/)

Mundo Negro (https://mundonegro.inf.br/)

Coluna Quadro Negro (https://quadronegro.blogfolha.uol.com.br/)

Portal Geledes (https://geledes.org.br/)


Instagram


Pretitudes (@pretitudes)

Racismo Invisível (@racismoinvisivel)

Falando de Racismo (@falandoderacismo)

Alma Preta (@almapretajornalismo)


Twitter


Alex Santos (@savagefiction)

Edu Carvalho (@educarvalholl)

Tati Nefertari (@tatinefertari)

Levi Kaique (@levikaique)


Autores e acadêmicos nacionais e internacionais


Silvio Almeida (@silviolual no Twitter)

Sueli Carneiro (@suelicarneiro no Twitter)

Winnie Bueno (@winniebueno no Twitter)

Angela Davis

Chimamanda Ngozi Adichie

Achille Mbembe

Kabenguele Munanga

Rosana de Lima Soares


Podcasts


Pretas na Rede

O Lado Negro da Força

Papo Preto

Infiltrados no Cast


Esse é um assunto que me envolve diretamente por ser negra, mas também por pesquisar nessa área dentro da faculdade. Em breve trago o tema do meu tcc aqui e as razões de tê-lo escolhido! Quero trazer mais conteúdos sobre o assunto, acho que é uma forma de contribuir e agregar conhecimento a causa. Por hoje é só.


E não esqueçam: vidas negras importam!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.
emerge © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.